top of page

Aproveitando o ChatGPT na prática jurídica: melhores práticas e considerações éticas



Você pode pensar no ChatGPT e em ferramentas semelhantes como um assistente com uma inteligência imensa, mas que às vezes espalha imprecisões em suas respostas que, de outra forma, seriam muito úteis. Essas imprecisões são frequentemente chamadas de “alucinações”.


Até agora, você provavelmente já ouviu falar sobre IA generativa e ChatGPT e está se perguntando se ele faz jus ao hype.


Conforme tenho dito há meses, acredito que sim e que os profissionais do Direito precisam aprender sobre isso e entender como e quando usá-lo.


Dito isto, uma parte fundamental do aprendizado sobre essa tecnologia emergente inclui a compreensão de suas limitações e riscos.


Com o tempo, à medida que a tecnologia melhora e é incorporada a ferramentas jurídicas especificamente projetados tendo em mente as necessidades e os requisitos de conformidade dos advogados, os riscos serão reduzidos.


Mas, por enquanto, há uma série de questões a serem lembradas se você optar por usar ferramentas como o ChatGPT em seu escritório de advocacia.


O que é IA generativa?


As ferramentas de IA generativa são essencialmente chatbots, treinados em amplos conjuntos de dados, capazes de responder de maneira conversacional e informativa a muitos tipos de assuntos.


Os exemplos disponíveis mais comuns desse tipo de tecnologia incluem o ChatGPT, o Google Bard e Microsoft Bing Chat.


Além disso, as plataformas de software legal também estão incorporando cada vez mais ferramentas de IA generativas baseadas em GPT-4 em seus sistemas, como tenho visto e compartilhado semanalmente em meus perfis do Instagram e Linkedin.


Para saber mais sobre ChatGPT e I.A. para Advogados, você também pode participar de grupos temáticos, como esse grupo gratuito que temos no WhatsAPP e onde apenas os administradores compartilham as últimas notícias sobre o tema e dão dicas práticas.


Entendendo os riscos, benefícios e melhores práticas


Essas ferramentas de IA têm um imenso potencial, e sua adoção estratégica e cuidadosa em escritórios de advocacia pode oferecer vantagens significativas.


Há muitas maneiras pelas quais os advogados podem usar IA generativa para reduzir a dor de tarefas demoradas (e às vezes mundanas).


Alguns exemplos incluem:


  • Elaboração de documentos, formulários e modelos

  • Resumindo artigos, leis, regulamentos e casos

  • Revisão e análise de contratos

  • Preparação de litígio, incluindo exemplos de perguntas para audiências ou interrogatório

  • Brainstorming de ideias.

Se você gosta de se aprofundar e entender mais sobre os assuntos, recomendamos a leitura do livro ChatGPT e Inteligência Artificial para Advogados.


Agora que você entende os fundamentos da IA ​​generativa e os benefícios que ela pode oferecer aos profissionais jurídicos, vamos passar para a redução de riscos.


Uma série de etapas pode diminuir o risco e aumentar a precisão ao implementar essa tecnologia em sua empresa.


Questões de Ética Jurídica


Em primeiro lugar, sempre mantenha a confidencialidade do cliente em mente.


É imperativo que você entenda completamente como as consultas de dados são tratadas e quem tem acesso a elas.


Se você não conseguir ajustar as configurações de privacidade do produto para reduzir o compartilhamento de dados para fins de melhoria do produto ou de outra forma, evite incluir informações confidenciais do cliente ao enviar consultas ao chatbot.


Você pode aprender mais sobre outros potenciais problemas éticos legais que você no nosso curso completo de ChatGPT para advogados.


A arte do prompt


Você também precisará criar prompts cuidadosamente para obter a resposta desejada.


Alguns ds elementos-chave para uma consulta bem-sucedida são:


  • Especificidade : Forneça instruções claras e detalhadas.

  • Contexto : Ofereça informações básicas suficientes para o tópico.

  • Instrução : Solicite explicitamente o tipo de resposta que deseja.

  • Formatação adequada : use gramática e estrutura corretas em seus prompts.

  • Compreendendo as limitações da IA : lembre-se das limitações da IA, incluindo conhecimento e limites de data.

Uma maneira de garantir que a entrada fornecida seja suficiente é fazer o nosso curso completo de ChatGPT para advogados, onde você aprenderá em detalhes cada uma das características da sintaxe de um prompt perfeito.


Não caia em alucinações


Por fim, como as ferramentas de IA generativas disponíveis continuam a fornecer respostas que incluem imprecisões e falsidades absolutas, é fundamental que você tenha conhecimento adequado sobre todos os tópicos sobre os quais conversará.


Em seguida, você precisará revisar cuidadosamente todas as respostas fornecidas pela I.A. para que possa identificar quaisquer erros na saída.


Nesse estágio inicial, a importância de uma revisão humana bem informada da produção é extrema e mandatória. Nunca siga em frente copiando e colando a resposta dada por uma I.A.


No entanto, à medida que a tecnologia de IA generativa avança, menos supervisão será necessária e a qualidade geral dos resultados melhorará exponencialmente.


O futuro é brilhante


Resumindo: não deixe que preocupações sobre riscos potenciais o impeçam de aproveitar os muitos benefícios que a IA generativa oferece.


Ferramentas como o ChatGPT apresentam oportunidades atraentes para escritórios de advocacia e, ao empregar as melhores práticas - como elaborar consultas precisas e ricas em contexto - e compreender totalmente as limitações atuais da IA, os profissionais jurídicos podem aproveitar essas tecnologias de maneira eficaz e responsável, em benefício de suas práticas jurídicas e clientes.


Se você prefere ter um aperitivo antes de adquirir nosso curso completo, participe da próxima Masterclass que acontecerá no dia 05 de julho. Lá você terá uma parte desse conteúdo que hoje já é o mais completo do Brasil, por um valor simbólico.


Mauro Roberto Martins Junior

CEO da Escola Brasileira de Legal Design e da Lawhaus Tecnologia e Inovação Jurídica

63 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page