top of page

Por que a sociedade anseia por um novo design no direito?

Você já se perguntou quais são as principais características desse novo tipo de sociedade que está surgindo e, por que o direito tradicional deixa de ser relevante nesse novo modelo social?


Nesse artigo vou procurar reunir alguns dados e informações que ajudarão a enxergar essa realidade em meio a tanta névoa!


Acesso facilitado a novas tecnologias


O primeiro fator que está impactando a sociedade é a crescente facilidade de acesso às novas tecnologias, seja no que se refere à redução de custos, seja no que diz respeito ao conhecimento técnico.


Para dar um exemplo, a impressora 3D mais barata à venda no mercado em 2010 custava mais de R$ 6.000,00. Hoje, em 2020, qualquer pessoa pode ter a sua impressora 3D por apenas R$ 850,00.


Você sabia que os advogados brasileiros já podem utilizar inteligência artificial por menos de R$ 100,00 por mês?


Derretimento das fronteiras e barreiras de entrada


Combinado com o primeiro, o segundo fator a impactar a sociedade é o fato de que empresas iniciantes com base em novas tecnologias conseguem sair do seu país e expandir internacionalmente com uma facilidade incrível.


Veja a história do WhatsApp, por exemplo. Criado na cidade de Santa Clara em 2009, atropelou as operadoras de telefonia locais e invadiu rapidamente mercados como França (2011), Reino Unido (2012), Brasil (2014) e Pequim (2015).


Você sabia que uma das plataformas de geração automatizada de contratos mais utilizadas no Brasil é, na verdade, francesa?


Mudanças na expectativa dos clientes


Por fim, a facilidade de acesso à tecnologia e a chegada de soluções vindas do mundo todo tem causado o terceiro grande fator que está impactando a sociedade nos últimos anos, que é a mudança na expectativa dos clientes.


Uma vez que a pessoa experimentou pagar uma assinatura mensal e ter a facilidade de assistir quantos filmes quiser, no horário que quiser, sem ter que pagar multa por atraso na devolução (Netflix), você acha que ela volta para a antiga locadora?


Você acha que a pessoa que experimentou chamar um motorista através do seu celular, que informou o tempo de chegada, estimou o preço da viagem, a buscou em casa e ofereceu diversos tipos de veículos (Uber), a pessoa vai voltar a ir pra rua, procurar uma avenida movimentada, esperar passar um táxi vazio e ficar acenando a mão para ele parar?


Você acredita que os clientes que tiverem acesso a um advogado que proporciona uma experiência mais transparente em relação às suas chances no processo, estratégias, custos e próximos passos, ela vai querer voltar para um advogado tradicional?


Mudança de gerações


Até hoje, os principais contratantes de serviços jurídicos eram pessoas nascidas nos anos 90 ou mais velhos, especialmente no seguimento corporativo, onde os diretores jurídicos são, em sua maioria, baby boomers (nascidos entre 1946 e 1964).


Nos próximos anos, veremos a ascensão da geração nascida a partir dos anos 2000, que desde a infância tiveram acesso a computadores, internet, smartphone e todas as soluções digitais e conectadas que essas quatro tecnologias de base proporcionaram.


Eles não vira uma máquina de escrever, um disquete, um orelhão de ficha, um vídeo cassete ou um fax. Eles não vão querer ir ao seu escritório, vão querer fazer reunião online. Eles não vão querer ligar para o seu escritório, eles vão querer conversar pelo WhatsApp.


As novas gerações vão chegar ao mercado de trabalho, às posições de poder, e o direito vai mudar nos próximos 05 a 10 anos, mais do que mudou nos últimos 200.


Impactos disso no mercado jurídico


Em resumo, essas pessoas que conversam pelo WhatsApp, assistem filmes pelo Netflix, ouvem música pelo Spotify, chamam motorista pelo Uber, pedem comida pelo iFood e pagam contas pelo internet banking, são as mesmas pessoas que contratam advogados.


Isso mesmo, as pessoas são as mesmas!


E você acredita que essas pessoas gostam da experiência que têm quando contratam serviços jurídicos tradicionais?


O que os prestadores de serviços jurídicos precisam aprender com as novas empresas como WhatsApp, Uber ou Netflix?


Será que o dia em que um escritório optar por facilitar a compreensão do direito para os leigos, os clientes continuarão contratando os profissionais que falam como se quisessem esconder algo?


Será que o dia em que um escritório conseguir cobrar mais barato porque usa inteligência artificial para revisar os contratos mais rapidamente, tais clientes continuarão contratando os profissionais que ficam horas ou dias para analisar um contrato?


Será que o dia em que um escritório melhorar seu desempenho ao utilizar machine learning para identificar as melhores teses para os processos dos seus clientes, os clientes continuarão contratando os profissionais que não ainda usam a intuição para avaliar as reais chances do caso?


Conclusão


A tecnologia está transformando a sociedade e, como parte da sociedade, o direito também será impactado.


Da mesma forma que a tecnologia 3D ficou acessível para qualquer pessoa projetar e imprimir objetos em sua casa, ela também ficará acessível para jovens que projetam um jeito diferente de fazer direito e entregar justiça.


Da mesma forma que um aplicativo criado por uma startup em Santa Clara ignorou as fronteiras, pulou de cabeça nas barreiras e derreteu as receitas de empresas de telefonia no mundo todo, soluções para o mercado jurídico criadas em qualquer garagem, coworking ou cafeteria do mundo podem ter um impacto significativo no mercado brasileiro.


E, por fim, assim que essas soluções jurídicas inovadoras e mais amigáveis para o usuário começarem a chegar (sim, porque é uma questão de tempo), os clientes aumentarão sua expectativa e não utilizarão mais serviços que se mantiverem atrasados, paralisados no tempo e obsoletos.


E todo esse movimento passará pela metodologia de Legal Design, que é a metodologia utilizada para criar serviços jurídicos mais eficientes, úteis, humanos e focados no usuário.


O Legal Design permitirá que você, advogado, consiga se adaptar às novas necessidades e expectativas dos clientes e fornecer serviços jurídicos que não apenas resolvam o problema deles, mas resolva da forma que eles preferem.


Assim como a experiência do usuário está invadindo todos os setores da economia e todos os mercados, ela também será a pedra fundamental da advocacia 4.0.


Saiba mais


Espero que esse conteúdo tenha lhe agregado valor e, mais importante, tenha despertado em você o interesse para continuar a pesquisar sobre como o Legal Design pode impactar positivamente sua carreira, seu escritório ou empresa e, por fim, toda a sociedade.


Esse é um tema bastante amplo e para respeitar o seu tempo, fiz esse artigo de forma bastante objetiva e resumida e vou continuar escrevendo uma série de outros conteúdos que complementarão aos poucos todos os aspectos do Legal Design.


Se você quiser continuar aprendendo sobre Legal Design, se inscreva na newsletter para receber os próximos artigos e veja outros tipos de conteúdos nas diferentes redes sociais: Rotina (Instagram,), Vídeos (YouTube) e dicas profissionais (Linkedin).



Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page